Para aqueles que são novos no assunto, enraizar o Android, ou fazer o tão falado root, consiste essencialmente em conseguir permissões elevadas. Com acesso root, você é capaz de acessar e modificar arquivos que normalmente seriam inacessíveis, como os que estão armazenados nos diretórios /data e /system.

Ter acesso root também permite que você execute uma classe totalmente diferente de aplicativos de terceiros e que realizam profundas modificações em nível de sistema. Você também será capaz de acessar determinados recursos do dispositivo que de outra forma seriam inacessíveis ou usar recursos existentes de novas maneiras.

Contudo, conseguir o acesso root não é o fim de todo o processo de modificação do dispositivo – pelo contrário, é geralmente o primeiro passo em sua jornada para a modificação do Android. Como tal, o acesso root é muitas vezes usado para instalar um recovery personalizado que pode então ser utilizado para a instalação de custom ROMs, kernels e outras modificações do sistema, como esse aqui.

O acesso root também permite aos usuários instalar o poderoso e versátil Xposed Framework, que funciona como uma "ponte" entre o sistema e as camadas superiores do Android e permite a realização de operações sem qualquer modificação nos arquivos internos do SO. É possível até corrigir eventuais bugs do sistema. Devido ao seu poder inerente, ter acesso root é, muitas vezes, perigoso.

Felizmente, liberar o root não é deixar o sistema aberto para tudo; e, para corrigir a "brecha" deixada no SO, existem programas, como o SuperSU ou SuperUser, que só concedem acesso root para aplicativos de sua escolha. Funciona assim: quando você executar um app que necessita de permissão root, uma janela popup vai perguntar se você permite ou não a operação. Com isso, a segurança do sistema não é comprometida.

Em casos de desastre, ter o root pode te fazer poupar muito tempo. Existem vários utilitários de backup que funcionam com permissões de root para ajudá-lo a restaurar os aplicativos e as configurações exatamente como estavam antes. Um exemplo é o programa Titanium Backup. Há ainda a possibilidade de realizar um backup integral de todo o SO através do recovery, permitindo a você retornar o sistema operacional exatamente como estava no momento em que você criou a cópia de segurança.

Além das vantagens óbvias de se manter backup do sistema ou somente dos aplicativos e configurações, há toda uma gama de softwares para os mais diversos fins que te darão um controle maior sobre o seu dispositivo e sobre os programas que rodam nele. Uma lista com algumas dessas opções você encontra no nosso artigo aqui.

Enfim, é possível ficar para sempre escrevendo sobre as virtudes do acesso root, então vamos mostrar logo como realizar o processo.

Aparelhos de 2012 a 2014

Um método bastante prático criado por um desenvolvedor do XDA Developers permite realizar o processo sem usar o computador. Basta instalar um aplicativo e executá-lo para a mágica acontecer.

Passo a passo do Framaroot

1. Faça o download do Framaroot para o seu computador;

2. Conecte o dispositivo ao PC usando o cabo USB;

3. Copie o APK Framaroot que você baixou para o raiz (fora de qualquer pasta) do seu cartão SD;

4. Uma vez que ele foi copiado, desconecte o aparelho do seu PC;

5. Certifique-se de habilitar a instalação de aplicativos fora da loja da Google. Acesse Configurações > Segurança e marque Fontes desconhecidas;

6. Use um gerenciador de arquivos para procurar o APK que você baixou. Se você não tiver um, aqui você encontra algumas sugestões. Quando achar o pacote do programa, toque nele para começar a instalação;

7. Uma vez que o aplicativo foi instalado, execute-o a partir de sua gaveta de aplicações (App Drawer);

8. Selecione a instalação do SuperSU no primeiro menu suspenso;

9. Selecione o tipo de exploit que será usado. O programa normalmente oferece três tipos, mas pode variar de acordo com o aparelho. Veja abaixo qual deles é o mais apropriado para o seu dispositivo;

10. Feito isso, basta esperar o processo acabar;

11. Reinicie o seu dispositivo após o término do processo.

Lista de exploits usados pelo Framaroot

  • Sam (afeta dispositivos com processador Exynos);
  • Frodo (afeta dispositivos com processador Exynos);
  • Gimli (afeta dispositivos com processador Omap36XX);
  • Merry (afeta dispositivos com processador Exynos);
  • Aragorn (afeta dispositivos com processador Samsung);
  • Legolas (afeta dispositivos com processador Samsung);
  • Gandalf (afeta dispositivos com processador Qualcomm);
  • Boromir (afeta dispositivos com processador Mediatek);
  • Pippin (afeta dispositivos com processador K3V2);
  • Gollum (afeta dispositivos com processador AMLogic);
  • Faramir (afeta dispositivos com processador Mediatek);
  • Barahir (afeta dispositivos com processador Mediatek).

Para descobrir qual é o tipo de processador do seu dispositivo, basta instalar o aplicativo CPU-Z clicando aqui.

Dispositivos lançados desde o final de 2013 até 2014

Essa ferramenta, chamada de TowelRoot, foi criada pelo hacker Geohot, famoso por realizar jailbreak de iPhones e desbloqueio de PlayStation 3.

1. Acesse esse link pelo navegador web do seu smartphone e clique no símbolo (lambda) central do site;

2. Baixe o arquivo APK para qualquer local do seu dispositivo;

3. Certifique-se de habilitar a instalação de aplicativos fora da loja da Google. Acesse Configurações > Segurança e marque Fontes desconhecidas;

4. Use um gerenciador de arquivos para procurar o APK que você baixou. Se você não tiver um, aqui você encontra algumas sugestões. Quando achar o pacote do programa, toque nele para começar a instalação;

5. Uma vez que o aplicativo foi instalado, execute-o a partir de sua gaveta de aplicações (App Drawer);

6. Clique no botão central (make it ra1n) e aguarde. O aparelho irá reiniciar automaticamente;

7. Abra o aplicativo da Google Play Store e instale o aplicativo SuperSU;

8. Ao abrir o SuperSU, será perguntado se deseja atualizar o binário “su”. Confirme e escolha a opção “Normal” para a atualização.

Via SuperDownloads